A Prefeitura de Saquarema, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, promoveu nesta quinta feira, 12,  capacitação intitulada “Enfrentamento da Esporotricose Felina”. A ação foi ministrada pelas equipes de Promoção de Saúde e das Vigilâncias Ambiental e Sanitária.

A capacitação ocorreu no Teatro Mário Lago e contou com a participação de médicos-veterinários de clínicas particulares do município, auxiliares e estagiários de Medicina Veterinária, além de ativistas de ONG’s locais de proteção animal.

Durante o evento, apresentado pelo coordenador do Programa Municipal de Tuberculose, Hanseníase, Esporotricose e Leishmaniose, Gerson Silva de Lima, e pelo médico-veterinário da Vigilância Sanitária Municipal, Marcio Barizon Cepeda, foram abordados os principais temas sobre a enfermidade, como a epidemiologia e casuística no Estado do Rio de Janeiro; a microbiologia do fungo; diagnóstico clinico-laboratorial; desafios, propostas e vigilância epidemiológica que o município realiza sobre a doença.

“Com essa capacitação, demos um importante passo para diagnosticar e começar a mapear o andamento da doença na cidade. Estamos trabalhando em conjunto, reunindo vários setores, para combater a Esporotricose em Saquarema”, informou o médico Marcio Barizon.

Foram esclarecidos, também, pontos importantes sobre o cuidado que os profissionais devem ter com a manipulação do felino doméstico acometido e sobre a preocupação, busca ativa e notificações que o município realiza de casos em relação à zoonose.

Em humanos, a infecção pela Esporotricose ocorre pelo contato do fungo com a pele ou mucosa, por meio de trauma decorrente de acidentes com espinhos, palha ou lascas de madeira; contato com vegetais em decomposição; arranhadura ou mordedura de animais doentes. As principais formas clínicas da doença são lesões na pele, localizadas principalmente nas mãos e braços; pequenos nódulos, localizados na camada da pele mais profunda, seguindo o trajeto do sistema linfático da região corporal afetada. Nos casos mais graves, quando a doença se dissemina para outros locais do organismo, pode haver o comprometimento de vários órgãos e/ou sistemas (pulmão, ossos, fígado).

Para mais informações sobre a Esporotricose, entre em contato com o Programa Municipal de Tuberculose, Hanseníase, Esporotricose e Leishmaniose. Ele funciona na Casa Amarela, à Rua Waldir Macedo da Silva, 180, casa 1, Verde Vale. O telefone é 2655-6441 e o e-mails é tuberculose@saquarema.rj.gov.br.